terça-feira, 26 de março de 2013

Bicho padeiro: massa básica para pão caseiro


Essa receita de massa para pão caseiro é para anotar e guardar do lado esquerdo do peito (ou na porta da geladeira): fora o fermento biológico fresco para pão, que é mais específico, os ingredientes são muito simples, o preparo também não requer grandes habilidades e a massa serve tanto para pães salgados quanto para pães doces. Você terá um pão leve, fofo e macio, pois tem uns "pulos do gato". Depois de passar a receita, indico sugestões de variação. Ir à padaria? Hoje não.

Vontade de comer pão e preguiça de sair para comprar no supermercado/padaria. Na lógica maluca dessa que vos escreve, a melhor solução era ir para a cozinha preparar um pãozinho. À primeira vista, pode parecer que acabei tendo mais trabalho, mas essa receita de pão caseiro é tão prática que o trabalho foi muito pouco e acho que saí lucrando. O clima quente do dia ainda fez o favor de diminuir a espera para crescimento da massa. O resultado foi um pão caseiro quentinho, do tipo "sovado", "suíço", que fica bem macio e com casca fina. A mesma massa pode ser modelada para fazer pão de hot dog e pão de hambúrguer, além de pães recheados. É, acho que saí no lucro.


O "pulo do gato" é fazer do jeito que fazem na padaria: adicionar o líquido (água) aos secos, e não o contrário - colocar farinha na mistura líquida -, como a gente costuma fazer em casa. Outro segredo: a farinha é na quantidade indicada e só. Nada de colocar mais farinha para a massa não grudar. É bem diferente do jeito que se costuma fazer pão em casa, mas seguindo as quantidades e instruções, garanto, sai um pão leve, fofo e macio.

Massa básica para pão caseiro
(Rende 6 pães - tamanho "hot dog" médio)

2 xícaras de farinha de trigo
1/2 colher de sobremesa de sal
1 e 1/2 colher de sopa de açúcar
1/2 colher de sopa de leite em pó
1 colher de sopa de manteiga (de preferência, sem sal)
1 tablete (15 g) de fermento biológico fresco
140 ml de água

Coloque em um recipiente os "secos": farinha de trigo, sal, açúcar, leite em pó, manteiga e o fermento biológico esfarelado. Misture com uma colher e com as mãos. Vá acrescentando a água aos poucos, misturando ainda dentro do recipiente.
Muita calma nessa hora: a massa vai estar pegajosa, e é assim mesmo. Retire a massa do recipiente e leve a uma bancada. Ela vai estar grudando nas suas mãos e na bancada, mas você vai ser forte e não colocará mais farinha. Vá sovando a massa (puxe um punhado de massa na sua direção e empurre com o punho, fazendo força para frente e para baixo, repetindo esse movimento e mudando a posição da massa na bancada). Braço forte: tem que sovar bastante, eu passei uns 15 minutos amassando a bicha. Nesse amassa-amassa, vai chegar um momento que a massa ficará elástica e não grudará mais na bancada e nas suas mãos. A explicação é que, sovando bem, você estará desenvolvendo a rede de glúten da farinha (???). Ok, deixará de ser pegajosa. Separe a massa em partes iguais e faça bolinhas, coloque na assadeira e deixe descansar uns 20 min. Passado esse tempo, modele as bolinhas a seu gosto (fiz compridas, no formato de pão de hot dog, mas devia ter dado mais altura) e coloque de novo na assadeira, dessa vez deixe crescendo uns 40 min. Pincele ovo batido (opcional) e leve ao forno médio até dourar. Aqui ficou uns 30 min, mas fique de olho.

Como você não ficou acrescentando mais farinha de trigo ao léu na hora de sovar a massa, o pão não fica com aspecto pesado, a massa fica muito leve e fofa. Você pode colocar um pouco de parmesão ralado em cima de cada pão antes de assar para ficar aquela crosta de queijo. Para pães doces, depois do primeiro descanso, recheie a bolinha com um pedaço de goiabada e prepare uma calda (fondant ou açúcar de confeiteiro + água) para jogar em cima do pão depois de assado.

Atualização: essa receita recomenda que se use apenas a quantidade indicada de farinha de trigo, não mais. A ideia é pedir que você resista à tentação de querer que a massa desgrude das mãos logo no começo da sova, pois ela vai começar grudentinha e vai desgrudar à medida em que você for sovando. No entanto, talvez eu tenha sido negligente em afirmar para nunca, never, jamais acrescentar mais farinha - foi recomendação da receita original e deu certinho comigo, aliás, sempre dá. Mas quem faz pães e massas sabe que farinha de trigo, às vezes até da mesma marca, comporta-se das maneiras mais distintas. Se você mora em local úmido, de repente sua farinha fica com mais umidade também e a receita pediria um tico a menos água, por exemplo. Assim, se você for começar a sovar e a massa estiver pegajosa demais, tipo esparramando na bancada, jogue um pouquinho mais de farinha. O que precisamos ter em mente é que não vamos fazer a massa desgrudar das mãos com farinha, e sim com sova. E persista na sova. Farinha é um último recurso. Desse jeito é que você vai conseguir um pão fofinho como promete a receita :)
Vi essa receita e copiei pra vcs !!!!!
besos..........................................................................

Nenhum comentário:

Postar um comentário

eu hoje!!!!

eu hoje!!!!

SER FELIZ

SER FELIZ
APESAR DE TUDO ...SER FELIZ

glamour!!!!!!!!!

glamour!!!!!!!!!