domingo, 6 de janeiro de 2013

amoooooo


Ola queridos amigos e visitantes. Primeiramente, Feliz Ano Novo a todos!  Esse post é totalmente dedicado aos maiores trompetistas da história do Jazz, mais a partir do Jazz Moderno, e segue numa trilha que começa com o Bebop de Dizzy Gillespie, passa pelo hard bop de Lee Morgan, depois passa pelo post-bop de Woody Shaw até aportar-se no neo-bop de Wynton Marsalis. Todos esses nomes – bebop, hard bop, post-bop, neo-bop – parece, num primeiro momento, deixar a apreciação um tanto difícil para quem está começando a se interar do universo jazzístico. E apesar de algumas pessoas optarem por não querer saber sobre o quê os rótulos representam, há outras que querem entender as características de cada um deles e as diferenças entre eles, pois são nada mais do que nomenclaturas usadas para denominar estilos e épocas do Jazz. É com essa intenção de mostrar esses estilos que eu escolhi uma linhagem de trompetistas com influências em comum, a qual começou com Dizzy Gillespie e foi se desdobrando na história do Jazz cada um influenciando o outro subseqüente: ou seja, Dizzy influenciou Clifford Brown que influenciou Lee Morgan e Donald Byrd; Clifford Brown influenciou Freddie Hubbard que influenciou Woody Shaw e Wynton Marsalis. Aliás, um outro fato interessante é que, com exceção de Dizzy Gillespie que começou a carreira com Charlie Parker na década de 40 e de Woody Shaw que foi descoberto por Chico Hamilton e revelado por Eric Dolphy na década de 60, todos os outros aqui citados tocaram na banda Art Blakey’s Jazz Messengers, recebendo a tutela do grande baterista Art Blakey, um dos “pais”do estilo de jazz denominado como hard bop. Enfim, este podcast mostra com clareza as características de cada trompetista que foram o expoentes das suas épocas ditando padrões e tendências: todos queriam copiar Dizzy Gillespie, o trompetista que exploravava toda a extensão do trompete (da parte grave às notas mais agudas) com uma rapizez e um fraseado fora de série; Clifford Brown foi o trompetista que caracterizou a transição do bebop para o hard bop: ele tocava ágil, com uma criatividade espantosa e sempre com as notas bem claras e destacadas; Lee Morgan, por sua vez, era o virtuoso do hard bop que tinha preferência por baladas e temas mais dançantes com um som intenso e um grande senso melódico; Donald Byrd era ágil e tinha um fraseado sequenciado, límpido e uma sonoridade cristalina, ligando as notas sem deixar falhas; Freddie Hubbard fraseava pausadamente sempre de forma inventiva e exuberante; Woody Shaw, que recebeu influencia direta de Hubbard e Eric Dolphy, inventou seu próprio fraseado, dispondo, também, de uma improvisação que consistia em tocar de forma melódica impregnando, no meio, suas frases únicas, até hoje inigualáveis; e, por fim, Wynton Marsalis, o virtuose trompetista de sonoridade macia que sabe tocar de várias formas, com vários fraseados e em vários estilos – nessa faixa do podcast, Wynton está no início da sua carreira e mostra-nos um fraseado cadenciado, rápido e próprio com influências de Freddie Hubbard, Miles Davis e Woody Shaw. 
1 - Wheatleigh Hall (do disco Duets de 1957) 

Dizzy Gillespie - trumpete 
Sonny Rollins – saxofone tenor 
Tommy Bryant - contrabaixo 
Ray Bryant - piano 
Charli Persip – bateria 

estilo: bebop 

2 - Quicksliver ( do disco Immortal Concerts: New York City, Birdland Club - February 21, 1954) 

Clifford Brown - trumpet 
Art Blakey - drums 
Horace Silver - piano 
Lou Donaldson alto saxofone 
Curley Russell – bass 

estilo: bebop/hardbop 

2º Bloco – tema de abertura: Gaza Strip – com Lee Morgan 
3 - Zip Code ( do disco Infinity de 1965) 

Lee Morgan: trumpet 
Jackie McLean: alto saxophone 
Larry Willis: piano 
Reggie Workman: bass 
Billy Higgins: drums 
estilo: hard bop 

4 - The Injuns (do disco Byrd in Hand de 1959) 

Donald Byrd - trumpet 
Pepper Adams - baritone saxophone 
Walter Davis, Jr. - piano 
Sam Jones - bass 
Charlie Rouse - tenor saxophone 
Art Taylor - drums 
estilo: hard bop 

3º Bloco – tema de abertura: The Mootrane – Woody Shaw 
5 - The Intrepid Fox (do disco Red Clay de 1970) 

Freddie Hubbard - trumpet 
Joe Henderson - tenor saxophone 
Herbie Hancock - electric piano 
Ron Carter - bass 
Lenny White - drums 

estilo: hardbop/ post-bop 

6 - Katrina Ballerina (do disco The Mootrane de 1974) 

Woody Shaw -Trumpet 
Cecil McBee - bass 
Tony Waters - Congas 
Victor Lewis - Drums 
Guilherme Franco - Percussion 
Onaje Allen Gumbs - Electric Piano 
Azar Lawrence - Soprano and Tenor Saxophone 
Steve Turre - Trombone 

estilo: post-bop 

4º Bloco – tema de abertura: Knozz Moe-king - com Wynton Marsalis 
7 - Chambers of Tain ( do disco Live at Blues Alley de 1986) 

Wynton Marsalis - trumpet 
Robert Hurst - bass 
Jeff "Tain" Watts - drums 
Marcus Roberts – piano 

estilo: neo-bop 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

eu hoje!!!!

eu hoje!!!!

SER FELIZ

SER FELIZ
APESAR DE TUDO ...SER FELIZ

glamour!!!!!!!!!

glamour!!!!!!!!!